sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

FELIZ DESPERTAR!!


Receita de Ano Novo
Para você ganhar belíssimo Ano Novo cor de arco-íris, ou da cor da sua paz, Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido (mal vivido ou talvez sem sentido) para você ganhar um ano não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, mas novo nas sementinhas do vir-a-ser, novo até no coração das coisas menos percebidas (a começar pelo seu interior) novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, mas com ele se come, se passeia, se ama, se compreende, se trabalha, você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita, não precisa expedir nem receber mensagens (planta recebe mensagens? passa telegramas?).
Não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta. Não precisa chorar de arrependido pelas besteiras consumadas nem parvamente acreditar que por decreto da esperança a partir de janeiro as coisas mudem e seja tudo claridade, recompensa, justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, direitos respeitados, começando pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um ano-novo que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo,
eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre. (Drummond)

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Amor só, não basta!


Aos que não casaram,
Aos que vão casar,
Aos que acabaram de casar,
Aos que pensam em se separar,
Aos que acabaram de se separar.
Aos que pensam em voltar...

Não existem vários tipos de amor, assim como não existem três tipos de saudades, quatro de ódio, seis espécies de inveja.
O AMOR É ÚNICO,
como qualquer sentimento, seja ele destinado a familiares, ao cônjuge ou a Deus.

A diferença é que, como entre marido e mulher não há laços de sangue,
A SEDUÇÃO
tem que ser ininterrupta...

Por não haver nenhuma garantia de durabilidade, qualquer alteração no tom de voz nos fragiliza, e de cobrança em cobrança, acabamos por sepultar uma relação que poderia
SER ETERNA

Casaram. Te amo pra lá, te amo pra cá. Lindo, mas insustentável. O sucesso de um casamento exige mais do que declarações românticas.
Entre duas pessoas que resolvem dividir o mesmo teto, tem que haver muito mais do que amor, e às vezes, nem necessita de um amor tão intenso. É preciso que haja, antes de mais nada,
RESPEITO.
Agressões zero.

Disposição para ouvir argumentos alheios. Alguma paciência... Amor só, não basta. Não pode haver competição. Nem comparações. Tem que ter jogo de cintura, para acatar regras que não foram previamente combinadas. Tem que haver
BOM HUMOR
para enfrentar imprevistos, acessos de carência, infantilidades.
Tem que saber levar.

Amar só é pouco.
Tem que haver inteligência. Um cérebro programado para enfrentar tensões pré-menstruais, rejeições, demissões inesperadas, contas para pagar.
Tem que ter disciplina para educar filhos, dar exemplo, não gritar.
Tem que ter um bom psiquiatra. Não adianta, apenas, amar.

Entre casais que se unem , visando à longevidade do matrimônio, tem que haver um pouco de silêncio, amigos de infância, vida própria, um tempo pra cada um.
Tem que haver confiança. Certa camaradagem, às vezes fingir que não viu, fazer de conta que não escutou. É preciso entender que união não significa, necessariamente, fusão.
E que amar "solamente", não basta.

Entre homens e mulheres que acham que
O AMOR É SÓ POESIA,
tem que haver discernimento, pé no chão, racionalidade. Tem que saber que o amor pode ser bom pode durar para sempre, mas que sozinho não dá conta do recado.

O amor é grande, mas não são dois.
Tem que saber se aquele amor faz bem ou não, se não fizer bem, não é amor. É preciso convocar uma turma de sentimentos para amparar esse amor que carrega o ônus da onipotência.
O amor até pode nos bastar, mas ele próprio não se basta.

Um bom Amor aos que já têm!
Um bom encontro aos que procuram!
E felicidades a todos nós!

Artur da Távola

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Gosto de Infância

Infância para mim era coisa séria, de viver intensamente sem precisar se arrepender na hora de ir dormir; de aproveitar cada instante e ainda pedir "só mais um pouquinho, mãe!" Infância de vários sabores, odores e que os anos não trazem mais.

No meu tempo, na minha eterna infância na roça:
Falava Senhora (or.) para os avôs;
Subíamos em árvores para brincar de espaço-nave;
Fugia por um minuto de casa e voltava quando dava fome;
Escondia-me debaixo da cama;
Corria descalço pela chuva e passava a noite tomando chá;
Fazia piquenique com bolacha recheada e suco;
Roubava carne na panela da casa de vó;
Tinha tênis com luzinha e cheiro de chiclete;
Brincava de boneca até 13 anos e adorava desenhos animados (que não era pica-pau);
Criança tinha piolho e dava um trabalhão;
Adorava Chiquititas e coreografias musicais;
Colecionava figurinhas e cartões telefônicos;
Tinha sempre um vestido ultra - mega preferido e usava roupas remendadas pela minha mãe até elas virarem farrapos, assim eu podia fazer bolinhos de lama.
Jabuticaba era o baú de tesouro encontrado depois de uma longa aventura pelo mato;
Brincava de casinha e cortava a barriga das bonecas para ver o que tinha dentro;
Maquiagem era coisa de gente grande e esmalte só depois dos sete anos;
No meu tempo de criança lamber a panela do bolo era a maior conquista;
Namorar era coisa nojenta;
Jogar bola era melhor que tudo;
Primos eram irmãos; tios davam presente;
Avô dava dinheiro; os amigos do meu pai davam bala;
Domingo era um dia inesquecível;
Brincar de escolinha era melhor que escola de verdade;
E deveria ter uma copa do mundo de elástico;
Pula-corda era brincadeira de família;
E esconde-esconde só tinha graça quando subia na cama, pulava janela, e demorava muito para aparecer;
Brincar com faca era perigoso, dor de garganta deva dengo e novela no rádio de pilha era emocionante.
As manhãs de garoa tinham chimango quente e as tardes tinham doce de manga verde;
Umbu era para serem pegos ainda "inchados" e comidos com sal;
Natal tinha presépio, terno de reis e frango assado no fogão a lenha;
Energia elétrica era um sonho e as noites tinham fantasmas;
Ir a cidade era ganhar na mega sena; comer pastel, comprar roupa nova; ver os carros e parar horas e horas vendo os brinquedos da vitrine.
Mas o melhor de ser criança era dormir no meio de meus pais numa cama apertada, aquecida e protegida dos trovões e dos relâmpagos das noites chuvosas.

Ah!! Como foi bommm!!!

E as lágrimas que molham essas teclas agora não são de tristeza, mas por saber que eu tive tudo isso e muitas crianças jamais desfrutarão dessa tão doce, inocente e mágica infância.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

"Meus amigos são todos assim: metade loucura, outra metade santidade. Escolho-os não pela pele, mas pela pupila, que tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante. Escolho meus amigos pela cara lavada e pela alma exposta. Não quero só o ombro ou o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos. Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos, nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice. Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto, e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou, pois vendo-os loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que a normalidade é uma ilusão imbecil e estéril"

Fernando Pessoa

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Consegui!!!!

"Vencer não é competir com o outro. É derrotar os seus
inimigos interiores. É a própria realização do ser."

domingo, 12 de setembro de 2010

Eu não sou tão triste assim, é que hoje eu estou cansada

terça-feira, 7 de setembro de 2010

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

; )


"Estou presa do lado de fora do meu coração."

sexta-feira, 30 de julho de 2010

O que quer uma mulher - Martha Medeiros



Um bebê nasce. O médico anuncia: é uma menina! A mãe da criança,
então, se põe a sonhar com o dia em que a sua princesinha terá um
namorado de olhos verdes e casará com ele, vivendo feliz para sempre.
A garotinha ainda nem mamou e já está condenada a dilacerar corações.
Laçarotes, babados, contos de fadas: toda mulher carrega a síndrome de
Walt Disney.
Até as mais modernas e cosmopolitas têm o sonho secreto de encontrar
um príncipe encantado. Como não existe um Antonio Banderas para todas,
nos conformamos com analistas de sistemas, gerentes de marketing,
engenheiros mecânicos. Ou mecânicos de oficina mesmo, a situação não
anda fácil. Serão eles desprezíveis? Que nada. São gentis, nos ajudam
com as crianças, dão um duro danado no trabalho e têm o maior prazer
em nos levar para jantar. São príncipes à sua maneira, e nós,
cinderelas improvisadas, dizemos sim! sim! sim! diante do altar; mas,
lá no fundo, a carência existencial herdada no berço jamais será
preenchida.
Queremos ser resgatadas da torre do castelo. Queremos que o nosso
pretendente enfrente dragões, bruxas, lobos selvagens. Queremos que
ele sofra, que vare a noite atrás de nós, que faça tudo o que o José
Mayer, o Marcelo Novaes e o Rodrigo Santoro fazem nas novelas.
Queremos ouvir "eu te amo" só no último capítulo, de preferência num
saguão de aeroporto, quando ele chegará a tempo de nos impedir de
embarcar.
O amor na vida real, no entanto, é bem menos arrebatador. "Eu te amo"
virou uma frase tão romântica quanto "me passa o açúcar". Entre
casais, é mais fácil ouvir eu "te amo" ao encerrar uma ligação
telefônica do que ao vivo e a cores. E fazem isso depois de terem se
xingado por meia-hora. "Você vai chegar tarde de novo? Tenha a santa
paciência, o que é que você tanto faz nesse escritório? Ontem foi a
mesma coisa, que inferno! Eu é que não vou prepar o jantar para você
às dez da noite, te vira. Tchau, também te amo." E batem o telefone
possessos.
Sim, sabemos que a vida real não combina com cenas hollywoodianas.
Sabemos que há apenas meia dúzia de castelos no mundo, quase todos
abertos à visitação de turistas. Sabemos que os príncipes, hoje, andam
meio carecas, usam óculos e cultivam uma barriguinha de chope. Não são
heróicos nem usam capa e espada, mas ao menos são de carne e osso, e a
maioria tentaria nos resgatar de um prédio em chamas, caso a escada
magirus alcançasse o nosso andar. Não é nada, não é nada, mas já é
alguma coisa.
Dificilmente um homem consegue corresponder à expectativa de uma
mulher, mas vê-los tentar é comovente. Alguns mandam flores, reservam
quarto em hotéizinhos secretos, surpreendem com presentes, passagens
aéreas, convites inusitados. São inteligentes, charmosos, ousados,
corajosos, batalhadores.
Disputam nosso amor como se estivessem numa guerra, e pra quê? Tudo o
que recebem em troca é uma mulher que não pára de olhar pela janela,
suspirando por algo que nem ela sabe direito o que é. .........
Perdoem esse nosso desvio cultural, rapazes. Nenhuma mulher se sente
amada o suficiente.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Amizade


Passei dias tentando encontrar palavras, formas, jeitos que conseguisse concretizar a AMIZADE. Percebi que não há no vocabulário, no dicionário nem tão pouco na gramática uma explicação precisa e coerente. Após o cansaço da procura, veio a desistência. Larguei meu corpo abandonado na cadeira quando no plano de fundo do meu computado meus olhos encontraram a mais perfeita definição deste amor incondicional que sentimos por um AMIGO!!! Nossa foto: EU, IVANLEY E FABÍOLA

sábado, 10 de abril de 2010

Amo0O*


É raro encontrarmos alguém para amar
Mas quando este amor chega é impossível resistir.
Sou completamente apaixonada por estas três criaturas
(Ediélia, Ivanley Stephenson e Fabíola)
que fazem de minha vida muito mais FELIZ!!!

sexta-feira, 19 de março de 2010

eU!!!


Vivo a vida assim:

"Já
perdoei erros quase imperdoáveis, tentei substituir pessoas insubstituíveis e
esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso, já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me
decepcionar, mas também decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger, já dei risada quando não podia, fiz amigos eternos,
amei e fui amado, mas também já fui rejeitado, fui amado e não amei.

Já gritei e pulei de tanta felicidade, já vivi de amor e fiz juras eternas,
"quebrei a cara" muitas vezes!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos, já liguei só pra escutar uma voz, me
apaixonei só por um sorriso, já pensei que fosse morrer de saudade e tive medo
de perder alguém especial (e acabei perdendo)! Mas vivi! E ainda vivo! Não
passo pela vida... e você também não deveria passar! Viva! Bom mesmo é ir à
luta com determinação, abraçar a vida e viver com paixão, perder com classe e
vencer com ousadia, porque o mundo pertence a quem se atreve e a vida é MUITO
para ser insignificante.

quarta-feira, 17 de março de 2010

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

No meio do caminho...


"No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra."

Com toda permissão de Drummond
Este trecho tão simples e falante
faz parte de meus dias
No meu caminho tinha uma, duas, três quatro pedras
Meus pés calejados sofrem com a dor intensa
que penetra a carne e ferindo
os sonhos, a esperança...
Ah, esperança!! Não resististes!
Me deixastes só
neste caminho tão cheio de pedras.
No meio do caminho tinha uma pedra.

Hoje...

Hoje estou só
Perdida na imensidão de meus pensamentos
Povoados de incertezas e dor
Lágrimas saltitantes pulam de meu coração ainda sangrando
Em meus olhos adormece um riso aprisionado por dentes cerrados
Agora não caio mais
Este abismo aqui dentro
Me faz flutuar
Estou vagando sem direção, perdida
Completamente embriagada
Pelos sonhos de minha alma.
(by Dina)

Quem mandou eu nascer em um mundo onde sonhos são apenas sonhos!
Helton Martins

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Carnaval :)


"Abra suas asas
Solte suas feras
Cai na gandaia
Entre nessa festa
Me leve com você
No seu sonho mais louco
Eu quero ver seu corpo lindo, leve e solto"
Lulu Santos

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Por Teobaldo Neto


Contemplação.
Hoje que os números se fazem iguais pela segunda vez nesse mês de setembro e o sol se recolhe
para o céu negro despejar suas primeiras lágrimas.
Fica a duvida se essas gotas são tristeza ou felicidade.
Porém hoje as gotículas que povoaram meu mês de satisfação não caíram de tão alto,
não molharam nenhum solo seco de um sertão qualquer,
ou trouxeram a fartura e o contentamento a qualquer outra pessoa que não a mim.
O recorte feminino que a retina me trouxe ao cérebro transplanta do mundo das idéias para a realidade palpável o que antes perambulava apenas em pensamentos...
Linda!
E a terra e o paraíso se mesclam numa confusão de imagens que o meu senso se perde sem direção...
São só palavras, sentimentos...
Imaginação. devaneios de um louco poeta...
Contemplação.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Desejo


Não posso calar-me
Esse desejo é mais forte do que eu
E ele esta em mim
As lembranças brotam do clarão de minha existência
me fazendo reviver tudo que passou
O mesmo gosto
O mesmo cheiro
E um prazer incontrolável
Toma conta do meu corpo
E minha alma se envaidece de tudo que a gente viveu.

Escrever


Escrever
É viver transcendendo entre os limites da razão e da loucura
É a entrega desvairada de todo ser de um corpo a um lápis cego e calado
São vozes que se misturam a linhas perfeitamente tortas
No compasso da vida que se segue.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Tenho medo de cair para dentro de você.


"_ E você, por que desvia o olhar?

Porque eu tenho medo de altura.
Tenho medo de cair para dentro de você.
Há nos seus olhos castanhos certos desenhos que me lembram montanhas,
cordilheiras vistas do alto, em miniatura.
Então, eu desvio os meus olhos para amarra-los em qualquer pedra no chão
e me salvar do amor.
Mas, hoje, não encontraram pedra.
Encontraram flor.
E eu me agarrei às pétalas o mais que pude,
sem sequer perceber que estava plantada num desses abismos,
dentro dos seus olhos."

Rita Apoena

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

"Cartas de amor são escritas não para dar notícias, não para contar nada, mas para que mãos separadas se toquem ao tocarem a mesma folha de papel."

Esperança...

Bons motivos você tem para acordar...
Abra os olhos, deixe o sol queimar...
Encantada borboleta te diz que ser feliz é uma questão delicada,
mas se não encontras boas razões,
envolva-se nos olhos da mulher amada,
deixe o vento em seus cabelos,
afogue-se nos braços da relva,
flutue nas ondas do mar...
E se ainda assim,
te faltares motivos para encontrar teu próprio coração,
olhe o teu irmão em desamparo,
caridade é a luz sempre maior.
Ou então, redescubra-se com dois anos de idade,
correndo pelas ruas da cidade...
Se você está só,também não entristeça.
Algo lindo te espera...
Um céu aberto, uma lua em alegria, uma flor de estrada,
uma alma para ser amada...
Entregue-se à vida...
Viva com intensidade...
Deixe sempre uma palavra de carinho a todos...
Fale Eu Te Amo para quem você ainda não tevea coragem de falar...
E siga em frente...
A vida é o que tens de melhor...
Ache os tesouros que ela te reservoue derrame-se em amor...
Olhe o futuro com esperança, e o passado com satisfação...
E escute, faça tudo com paixão.
Tens tua vida em tuas mãos...
És o arquiteta/o de teu próprio destino,
Faça de teu caminho algo realmente divino!

Karla Bardanza

Intransponível...

Não sabia que ia ser assim
Tão difícil estar agora
É um obstáculo tão grande
Que meu olhos encharcado de lágrimas não conseguem enxergar o fim
Ei Deus, cadê você??
Essa solidão me da medo
Me sinto tão só
e minhas orações estão perdendo a força
Tenho medo...
Tenho medo...

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010


My Stick Family from WiddlyTinks.com

Coragem

Arrisque-se!
Pule, grite, chore;
Estranho é deixar a emoção passar;
É repreender dentro de nós aquele instante de loucura que nós faz feliz;
Poucas pessoas conseguem externar sentimentos
Por vergonha, medo...
Não deixe para amanhã as loucuras que podemos fazer hoje.
O amanhã é incerto e pede novas loucuras.

"Extravasa
Libera e joga tudo pro ar
Eu quero ser feliz antes de mais nada!!!"

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

By Fabíola Castro


"Hoje eu estendi todos os nossos
momentos nos varais da lembrança, só pra não
correr o risco de você sumir do meu coração"
Fabíola Castro

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Vejo o mundo pelo colorido dos teu olhos!

Aprendi com seu olhar que é preciso ver o mundo de forma mais otimista; Que é preciso amar com todos os órgãos do corpo;
Que é preciso deixar a alma transparecer pela retina e que as lágrimas são necessárias para lava-lá.
Vi através de teu olhar a simplicidade do sol; Ouvi a musicalidade do vento; Senti a doçura do luar;
Teu olhar me deu asas para acreditar na vida, para ver além do preto e branco que rasga o cotidiano a fora.
Nos seu olhos eu me entrego sem medo, sem vergonha e me vejo caindo num infindável abismo de múltiplas cores. Ah! se todos pudesse olhar em seus olhos...

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

O milagre da vida

Milagre segundo o dicionário é aquele acontecimento extraordinário que supostamente desafia as leis naturais; fato admirável. Para mim não há milagre maior do que a gestação.
Uma vida que se doa para manutenção de outra vida.
Respira, alimenta, emprestar generosamente seu corpo como abrigo e proteção.
Suporta dores, medo e a espera de longos 9 meses.
Um amor incondicional! Um verdadeiro milagre da vida!


Lindo!!!!

video

sábado, 9 de janeiro de 2010

Soneto do Amor Total


"Amo-te tanto, meu amor ... não cante
O humano coração com mais verdade ...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.
Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade.
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.
Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.
E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude."

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

2 anos de muito amor!!


Lembro como se fosse hoje. Meu coração no descompasso acelerado fazia meu peito tremer e minhas pernas não mais aguentava a ansiedade da hora que teimava em não passar. Nosso Casamento (05/01/2008)! Aquele momento mágico que toda menina sonha que aconteça com a chegada do príncipe encantado. O meu estava lá, no altar a me espera, lindo, maravilhoso... Quanta felicidade que não cabia dentro de mim, que nem mesmo nosso interminável sorriso era capaz de transmitir. Todos os presentes testemunharam que para ser feliz é preciso muito pouco: "Amor, família e amigos." E não era conto de fadas, mas estamos e viveremos FELIZES PARA SEMPRE!!